Notícias:

Let's Talk About Pork apresenta resultados

A campanha Let´s Talk About Pork apresentou os resultados da sua implementação desde junho de 2022. Num evento decorrido no laboratório gastronómico Manja Marvila, os promotores fizeram um balanço positivo de uma campanha que pretendeu esclarecer de forma séria e transparente o Modelo de Produção Europeu de Carne de Porco.

A campanha decorreu em simultâneo em Portugal, Espanha e França e teve como mote a desconstrução de mitos associados à produção e ao consumo da carne de porco, destinando-se a um público entre os 18 e os 30 anos.

Foi possível acompanhar a Let’s Talk About Pork em diversos meios de comunicação, fazendo parte da sua estratégia a presença em TV, organização de eventos, redes sociais, outdoors, presença online e workshops com influencers.

No total dos dois anos e meio que esteve ativa, a campanha produziu mais de 250 notícias, chegando a mais de 130 milhões de contactos.

De acordo com a media monitor, com a sua presença em televisão, a LTAP alcançou mais de 19 milhões de contactos, com de 50% de cobertura média e cerca de 60% em prime time.

Já no seu canal de YouTube, os vídeos da campanha totalizaram 2 346 348 visualizações. No Spotify os seus anúncios foram escutados 719 257 vezes, no Facebook os spots promocionais foram visionados 625 243 vezes e no instagram chegaram às 1 510 557 de visualizações.

Na campanha digital os resultados foram também bastante bons com 1 427 555 impressões na Radio OnDemand, 625 243 na TV OnDemand e 6 011 538 visualizações no programmatic.

Os cartazes da campanha circularam em sete autocarros em Lisboa e Porto e foram inseridos 722 billboards em universidades de Lisboa, Porto, Braga e Coimbra, assim como 700 000 toalhetes individuais de refeição.

Os influencers digitais também transmitiram as mensagens da campanha e nomes como Marco Costa, Vítor Sobral, Fábio Bernardino e Isabel Zibaia Rafael associaram-se à Let’s Talk About Pork e tiveram um alcance de 890 000 fãs.

Nas redes sociais a página de facebook da Let’s Talk About Pork tem agora mais de 22 000 seguidores e a página de instagram superou os 1 000 seguidores.

A campanha desenvolveu ainda a atividade paralela “Let’s Talk With Millennials” que consistiu na visita a 12 escolas de hotelaria e turismo fazendo formação com a apresentação da iniciativa e showcooking com o chef Luís Gaspar. No total esta ação contou com a presença de 720 alunos.

A Let’s Talk About Pork associou-se ainda à iniciativa Jovem Talento da Gastronomia, através da criação de um concurso na categoria de carne de porco europeu e o roadshow JTG. Esta iniciativa contou com a participação de 1 000 alunos, para além dos 7 000 que participaram na maior aula online decorrida por ocasião do Dia Nacional do Estudante de Gastronomia.

A XXV Feira Nacional do Porco foi também um importante certame de promoção da LTAP, na qual foram contactados diretamente 15 000 visitantes.

Vítor Menino, um dos promotores da campanha em Portugal mostrou-se satisfeito com os resultados, afirmando que “Durante quase três anos tentámos transmitir a forma de trabalhar do setor da suinicultura em Portugal e termos conseguido chegar a tanta gente significa que o nosso objetivo foi cumprido”.

David Neves, presidente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores, afirmou durante o evento de encerramento que “é isso fundamental que a nossa tutela e o nosso governo se batam em Bruxelas pela inclusão da carne nos programas de promoção de produtos agrícolas da Comissão Europeia de modo que o setor tenha uma voz responsável, construtiva e esclarecedora.”

O evento de encerramento da campanha Let’s Talk About Pork contou com a participação do chef Luís Gaspar que presenteou os convidados com um showcooking de carne de porco.

saber mais

Apresentação do PEPAC Portugal para 2023-2

A Ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes, apresentou o Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PEPAC) em sessão realizada em Vila Nova de Gaia, com a intervenção do Primeiro Ministro, António Costa e do Comissário Europeu da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski e participação do Secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes. 

Assista à sessão aqui.

Aprovado formalmente pela Comissão Europeia a 31 de agosto de 2022, o PEPAC tem como objetivo uma gestão ativa de todo o território baseada numa produção agrícola e florestal inovadora e sustentável, garantindo maior equidade na distribuição dos apoios e valorizar a pequena e média agricultura, acautelando as especificidades regionais. 

O PEPAC é um programa de investimentos no valor de 6713 milhões de euros que entrará em vigor a 1 de janeiro de 2023 e se prolongará até 2027, constituindo um instrumento essencial para a promoção do investimento e do rejuvenescimento do setor agrícola, contribuindo para a transição climática e digital.

Consultar mais informação.

Fonte: GPP

saber mais

VINIDEAs organiza curso de Viticultura Bio

É capaz de gerir a vinha de acordo com as especificações da agricultura biológica? É capaz de proteger eficazmente a vinha contra doenças, manter o rendimento e a qualidade dos vinhos? Todas estas, são perguntas com que os viticultores se deparam antes de explorar a vinha no modo de agricultura biológica. No próximo dia 6 de dezembro, no Régia Douro Park, a VINIDEAs organiza curso de Viticultura Biológica.

Com base na experiência dos consultores do ICV- Institut Coopératif du Vin, em França, onde a Viticultura Biológica está bem representada na paisagem vitícola há 20 anos, pretendemos com este curso:

  • Rever todo o itinerário técnico para a gestão da vinha;
  • Focar os pontos críticos de vigilância antes de qualquer conversão;
  • Identificar interesses e restrições da produção de vinho biológico;
  • Conhecer procedimentos a efetuar;
  • Definir requisitos técnicos e consequências práticas na gestão da vinha e adega.

Comunicação do orador em francês com tradução simultânea e apresentação power point em português.

Inscrição inclui: documentação, prova de vinhos biológicos, certificado de participação, coffee-break e almoço. Tem o custo de 245€ + IVA. Increva-se aqui.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

  • Levantamento da superfície(ha) e volume(L) produzido em modo biológico, evolução da procura do consumidor e perspetivas futuras
  • Conversão da própria exploração: fases, certificação, incentivos públicos e rotulagem
  • Aspetos vitícolas: principais requisitos, consequências na gestão da vinha e custos de produção
  • Aspectos enológicos: Caderno de encargos
  • Rastreabilidade
  • Prova de vinhos biológicos 

saber mais

Escola Superior de Biotecnologia debate de

Recuperar solos contaminados ou queimados é possível? Os especialistas dizem que sim. Para assinalar o Dia Mundial do Solo, que se comemora a 5 de dezembro, a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica no Porto vai promover um seminário dedicado à gestão e recuperação sustentável da saúde do solo. Um evento aberto à comunidade, que decorre entre as 9h30 e as 13h, no Auditório Comendador Arménio Miranda, no Edifício de Biotecnologia.

“A contaminação dos solos decorrente da ação humana é um problema grave e generalizado na Europa e no resto do Mundo,” salienta Helena Moreira, investigadora do Centro de Biotecnologia e Química Fina da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa.

“A academia e as empresas têm vindo a trabalhar no sentido de encontrar soluções que passem não só pela prevenção, mas sobretudo por investigar novas metodologias que possam combater a poluição nos solos”, acrescenta Sofia Pereira, investigadora do Centro de Biotecnologia e Química Fina da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa.

Neste seminário "especialistas irão abordar temas como as fitotecnologias e fitogestão de solos contaminados, a melhoria da sua qualidade através da aplicação de inóculos microbianos e corretivos, e a recuperação de solos queimados”, revelam as investigadoras. Outros dos temas em análise irão ser a minimização dos riscos para a saúde pública relacionados com a qualidade dos solos na produção agrícola e a prevenção da contaminação e remediação do solo – desenvolvimentos nacionais e comunitários.

O Dia Mundial do Solo é celebrado todos os anos, no dia 5 de dezembro, e foi implementado pela Assembleia Geral das Nações Unidas em 2013 com o objetivo de alertar para a importância de existirem solos saudáveis que devem ser geridos de forma sustentável.

O Seminário “Desafios na Gestão e Recuperação Sustentável da Saúde do Solo”, realiza-se na manhã de 5 de dezembro, no Auditório Arménio Miranda no Edifício de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa. A participação é gratuita, mediante inscrição prévia.

saber mais

Comissário europeu da Agricultura e Desenv

Ontem, dia 29 de novembro, o comissário europeu da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski, participou na sessão de apresentação do Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PEPAC) de Portugal com o primeiro-ministro, António Costa, e a ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes. 

A sessão decorreu nas Caves Ferreira, em Vila Nova de Gaia. O PEPAC de 2023-2027 apoiado pelo Fundo Europeu Agrícola de Garantia e pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural foi aprovado formalmente pela Comissão Europeia a 31 de agosto.

Vai permitir a Portugal proceder a uma gestão ativa do território, garantindo maior equidade na distribuição dos apoios, e valorizar a pequena e média agricultura, acautelando as especificidades regionais. Este é ainda um instrumento essencial para a promoção do investimento e do rejuvenescimento do setor, contribuindo para a transição climática e digital.

Fonte: Comissão Europeia

saber mais

Lipor lança campanha de combate ao Desperd

Ninguém gosta de desperdiçar comida, mas, a verdade é que todos os dias o fazemos. E, se comer é um momento social, cultural e emocional…é, até um ritual, porque é que continuamos a desperdiçar? Por diferentes motivos: desperdiçamos porque os alimentos perdem sabor e qualidade, porque não prestamos atenção ao seu valor ou porque compramos em grandes quantidades.

O desperdício é uma prática comum no dia a dia e a Lipor e os seus Municípios associados, atentos a esta problemática, lançam uma campanha de combate ao desperdício alimentar com o mote “Poupe o ambiente e a carteira”, mostrando o impacto ambiental, económico e social do desperdício.

Existem grandes benefícios em reduzir o desperdício alimentar. Um deles é a poupança que gera para poder investir noutras atividades. Por isso, a Lipor materializa aquilo que as pessoas podem comprar com o dinheiro de comida que desperdiçam todos os dias: em hobbies, viagens, conhecimento, em momentos de prazer.

Esta campanha é direcionada a todos os que são responsáveis pela alimentação em casa, desde as compras dos alimentos no supermercado até à sua confeção e, ainda, pela escolha dos restaurantes mais sustentáveis: todos aqueles que optam por ter a "Dose Certa” e que são, ou queiram ser, aderentes “Embrulha.”.

Fique atento a esta campanha e “Poupe o Ambiente e a Carteira”.

saber mais

Projeto Oryzonte demonstra que as emissões

O Projeto Oryzonte de Agricultura Sustentável demonstra que a aplicação de técnicas de irrigação intermitente (Húmido e Secagem Alternativa, AWD) pode reduzir, em 60%,  as emissões de gases com efeito de estufa (GEE) produzidos pela cultura do arroz, em Sevilha.

O programa, inteiramente financiado pelas empresas Mars Food, Herba Ricemills (Ebro Foods) e Danone, como parte do seu compromisso empresarial para a sustentabilidade da sua cadeia de valor e a mitigação das alterações climáticas, visa melhorar a sustentabilidade do cultivo de arroz em Sevilha em três áreas-chave: água, emissões de gases com efeito de estufa e biodiversidade, tendo obtido resultados altamente satisfatórios em cada uma delas. Como ação transversal, o projeto incluiu também atividades de formação com produtores de arroz da região.

O primeiro estudo de amostragem direta de GEE no campo de arroz de Sevilha

Os campos de arroz de Sevilha, como os de muitas outras regiões, são cultivados em condições de inundação, tornando-os uma importante fonte de emissões antropogénicas de gases com efeito de estufa, sendo o metano (CH4) o gás predominante nesta cultura.

Embora as emissões possam ser estimadas através dos modelos existentes, a precisão destes modelos precisa de ser avaliada através da amostragem direta das emissões dos campos de arroz. No entanto, ainda não foi comunicada qualquer amostragem de emissões de GEE de explorações agrícolas comerciais de arroz em Sevilha.

Neste contexto, a Oryzonte recolheu amostras e analisou as emissões de gases com efeito de estufa de 3 parcelas, tanto na fase de cultivo como durante o período de pousio de inverno, aplicando em cada uma delas um cenário diferente de gestão da água. A monitorização abrangeu o período de junho de 2019 a junho de 2020.

A primeira parcela implementou irrigação intermitente (AWD), uma prática que visa proporcionar períodos de aeração do solo durante o ciclo de cultivo. A segunda parcela implementou a não inundação no Inverno, uma prática que se concentra em não inundar os campos após a colheita, aumentando assim o período de oxigenação dos solos. Finalmente, a terceira parcela foi utilizada como controlo, para obter a linha de base e verificar se as práticas aplicadas reduzem efetivamente as emissões de GEE.

As amostras de gás foram recolhidas pela equipa do projeto, composta funcionários do Gabinete de Iniciativas Europeas e do Optiriego Consulting. A equipa também recebeu apoio técnico do Instituto Hispánico del Arroz (Hisparroz), um dos maiores produtores da região. A análise das amostras e dos resultados foi realizada pelo Institute of Agri-Food Research and Technology (IRTA), um centro de investigação com experiência significativa na avaliação das emissões de GEE dos campos de arroz.

Resultados extremamente significativos

As emissões de GEE na parcela de controlo foram substancialmente inferiores às comunicadas noutras regiões espanholas, o que poderia dever-se ao elevado teor de argila e sulfato dos solos em Sevilha. Por outro lado, o trabalho demonstrou que a aplicação de práticas de mitigação específicas promovidas a nível internacional, tais como a irrigação intermitente, reduz eficazmente as emissões de GEE dos campos de arroz em Sevilha. Neste sentido, através da implementação da AWD, o projeto mediu uma redução nas emissões de GEE de 60% e uma redução notável nas emissões de metano de 63%, em relação à prática habitual dos agricultores.

A medição das emissões mostrou que a prática de não haver inundações no Inverno reduz significativamente as emissões de GEE em comparação com a prática habitual de manter os campos inundados desde a colheita até meados de janeiro.

Em todos os casos, as emissões de outros gases com efeito de estufa (principalmente óxido nitroso) não foram significativas. Portanto, o risco de aquecimento global é significativamente reduzido com a implementação de irrigação intermitente e sem inundações de Inverno.

O projeto está atualmente a trabalhar com produtores de arroz da região para encorajar a implementação destas práticas nas suas explorações. 

saber mais

Associação SFCOLAB e AIHO assinam protocol

A Associação SFCOLAB – Laboratório Colaborativo para a Inovação Digital na Agricultura e a Associação Interprofissional de Horticultura do Oeste assinaram um protocolo de colaboração com o objetivo de acelerar a transferência do conhecimento e da tecnologia para o setor hortícola do Oeste de Portugal.

A assinatura formal deste protocolo - por parte de Laura Rodrigues e Samuel Pereira, Presidente e Vice-Presidente do SFCOLAB, e Sérgio Ferreira e Carlos Marques, Presidente e Vice-Presidente da AIHO – ocorreu durante o IV Encontro da Fileira Hortícola do Oeste & I Gala da Fileira Hortícola do Oeste, no passado dia 23 de novembro, numa iniciativa organizada pela AIHO, no Restaurante Os Severianos - Torres Vedras.

Este evento contou com a presença de cerca de 240 pessoas, juntando os principais players da fileira hortícola do Oeste e elementos de diferentes entidades governamentais.

saber mais

Publicações: